fbpx

Nos últimos meses, muito se especulou acerca da subida da Euribor, assim como no que isso representaria para as famílias e para a economia. Para entendermos o cenário vivido atualmente, iremos esclarecer o que é a Taxa Euribor, o impacto da sua subida na prestação mensal e qual a melhor forma para atenuar esse efeito.

1- O que é a Taxa Euribor e como funciona?

Tem vindo a ser mais que anunciada e falada a subida da Euribor, primeiramente a 12 meses e agora, nos vários prazos. E sabemos que se trata de uma subida que está diretamente associada à inflação na zona euro.

Euribor significa “Euro Interbank Offered Rateou seja, são as taxas de juro de referência do mercado interbancário europeu. Por outras palavras, é o preço a que os bancos emprestam dinheiro entre si.

Sempre que um banco necessita de pedir dinheiro emprestado a outro, este último cobra uma taxa de juro com base na taxa de referência estipulada pela Federação Europeia de Bancos — instituição responsável por fazer a média das taxas de juro praticadas por um conjunto de Bancos.

Posto isto, o Banco Central Europeu , desde o início do ano, que veio comunicar a subida dos juros nos créditos devido aos valores da inflação nos vários países da Europa.

Portanto, se tem um crédito habitação contratado, sabe certamente que não existe apenas uma única opção de taxa Euribor, mas sim várias, distintas pelo prazo que oferecem. Uma semana, um mês, 3, 6 e 12 meses são as possibilidades de escolha para a taxa Euribor variável, sendo mais comuns e conhecidas as de 3 a 12 meses de taxa variável.

Isto significa que, antes de avançar com um crédito, pode escolher o prazo da Euribor. Ou seja, pode escolher de quanto em quanto tempo a sua taxa de juro será revista.

2- Qual o impacto da Euribor para quem pediu um crédito?

Para perceber qual será o impacto na sua prestação de crédito com a subida da Euribor, precisa de relembrar qual o prazo contratado e respetivo valor médio da Euribor. Por exemplo, imagine que contratou um crédito habitação de 160 000€ com uma taxa variável de 12 meses e um spread de 1,3%. Em Abril de 2022 a taxa da Euribor para 12 meses ficou estipulada em 0,013% somando ao seu spread fica com uma TAN de 1,313% o que vai dar uma prestação de 498,09€ mensais.

No entanto, com o aumento da Euribor para 1,120%, caso se mantenha o spread estipulado pelo seu banco, fica com uma TAN de 2,240%, obtendo uma nova prestação mensal de 587,01€ . O que corresponde a um aumento de aproximadamente 89€.

Poderíamos dar-lhe outros exemplos a 6 ou a 3 meses de Euribor, no entanto independentemente dos exemplos a usar queremos deixar-lhe o alerta de que os juros vão aumentar e fazer-se sentir no final do mês. Por isso, repense no seu orçamento para que não comprometa as suas finanças pessoais.

3- O que poderei fazer para atenuar o impacto dos juros face ao aumento da Euribor?

Uma vez que estamos numa época de crescimento de juros, não é a melhor altura para contrair novos empréstimos mas sim para otimizá-los. Se já tem vários créditos, pondere optar por uma consolidação de créditos.

Recorrer a um Crédito Consolidado pode ser uma solução para ganhar alguma folga no seu orçamento. Isto porque quando junta todos os créditos num só, fica com uma única prestação, com uma taxa de juro menor a nível global, o que permite uma poupança mensal significativa.

Pode e deve rever as condições do seu crédito habitação: spread, produtos associados e outros encargos. Isto porque os spreads ainda estão em valores abaixo de 1%. Em alguns casos, é possível contratar spreads de 0,85%. o que também iria ajudar e muto na sua poupança . Está a par do spread que o seu Banco pratica atualmente?

Faça esta e outras questões como condições de amortização, passar para taxa fixa, alterar o seguro de vida e casa, etc.