fbpx

Há quem analise a compra de um eletrodoméstico pelo preço, pela sua funcionalidade ou pela sua eficiência energética. As etiquetas de eficiência energética já não são uma novidade e no ano passado sofreram uma atualização, está a par? Saiba interpretar a nova escala de etiquetas energéticas!

Sempre que nos dirigimos a qualquer loja de venda de pequenos ou grandes eletrodomésticos, rapidamente nos deparamos com a etiqueta habitual de cada aparelho. Aquelas etiquetas brancas com a representação de barras coloridas, organizadas por ordem hierárquica de eficiência energética de A a G — Tratam-se das Etiquetas da Classe Energética que existem no mercado desde da União Europeia desde 1992.

Entretanto, a nova legislação comunitária acaba com as classes A+, A++ e A+++ das etiquetas de vários eletrodomésticos e as novas etiquetas passaram a mostrar uma escala mais simples de interpretar, de A (mais eficiente) a G (menos eficiente).

1- Para que servem as Etiquetas de Classe Energética?

O objetivo das etiquetas da classe energética de cada aparelho surgiu com o intuito de categorizar os aparelhos mais eficientes do mercado e ajudar a escolher aquele que melhor contribui para a poupança da sua carteira e ao mesmo tempo para a preservação do ambiente.

A evolução tecnológica dos aparelhos, fez com que houvesse uma maior oferta no mercado. Ou seja, mais modelos, com diferentes tipos de consumos e a diferentes preços. Tudo isto com uma reduzida qualidade de informação, levou à necessidade de adaptar uma etiqueta que referisse a classe energética de cada aparelho, sendo assim mais fácil de interpretar a informação de consumo do eletrodoméstico e, para além disso, trata-se de uma informação que é revista com regularidade.

A etiqueta energética é uma forma de comparar a eficiência dos aparelhos, com uma leitura rápida e simples de detalhes técnicos, ajudando o consumidor a distingui-los. Uma vez que, os equipamentos com características técnicas semelhantes são testados e comparados entre si, nas mesmas condições, para que seja possível ser-lhes atribuída uma classificação o mais correta possível. Desta forma, pretende-se assim, encorajar os fabricantes a investirem na pesquisa e no desenvolvimento de aparelhos cada vez mais eficientes.

Por vezes, a eficiência dos equipamentos é um motivo de escolha por parte do consumidor. Televisões, frigoríficos, congeladores, máquinas de lavar louça, máquinas de lavar e/ou de secar roupa, até lâmpadas são os produtos mais comuns de análise da etiqueta.

Imagem alusiva a uma etiqueta de classe energética

2- Que outras informações comporta a Etiqueta da Classe Energética?

Para além de uma nova escala de classificação energética: de A a G, sem classes ‘+’ , nas novas etiquetas, pode ainda comparar os grafismos diferentes para cada aparelho a indicar o desempenho e as características do produto. Como o consumo de água, de eletricidade, a capacidade do Programa Eco, assim como as emissões acústicas de ruído, entre outras informações. E tem também um QR Code que pode ser lido através do seu smartphone, que o remete para mais detalhes sobre o produto.

Obtenha a sua simulação: Crédito Consolidado