Capa Pontos de Vista

“Trabalhar passou a ser um prazer, quando se gosta do que se faz”

A Financial Liberty, uma empresa que lhe concede a liberdade financeira através de créditos consolidados, trouxe à Vanessa Oliveira, Sócia-Gerente da empresa, a liberdade de fazer aquilo que mais gosta. Liderar este projeto.

Entrevista completa na Pontos de Vista

O setor da intermediação de créditos e apoio jurídico, é agora regulamentado pelo Banco de Portugal. Considera que este facto veio expressar uma maior notoriedade e segurança das empresas do setor junto do público? Em que sentido?

Essa notoriedade é gradual, não é imediata. A notoriedade pode surgir, na medida em que os intermediários, podem dar-se a conhecer sem receios de serem comparados com algumas empresas que possam estar no mercado com uma posição dolosa para o cliente.

Atualmente, como uma medida de segurança, os clientes podem sempre consultar junto do portal do cliente bancário/Banco de Portugal, se a empresa que estão a consultar é de facto uma empresa legitimada a atuar neste setor. Concordo plenamente em tudo o que concerne segurança ao cliente.

Considera que esta conjuntura veio permitir e facilitar uma maior expressão por parte das empresas do setor?

Sem dúvida alguma, contudo ainda existe junto do público em geral, muita falta de literacia nesta área. Constantemente chegam até nós, situações de clientes ou propensos clientes que de alguma, foram vítimas desta falta de literacia. Por isso, a Financial Liberty, está a desenvolver junto de algumas empresas, de forma “free”, a possibilidade de dar a conhecer aos seus funcionários algum conhecimento de literacia financeira.

O primeiro valor da Financial Liberty é a satisfação dos seus clientes e a resolução da sua situação financeira. Para tal, é necessária uma reestruturação e reeducação da condição financeira de cada cliente. Como é feito esse acompanhamento?

Este acompanhamento passa por várias fases. Mas antes de mais, permite-me esclarecer, que este valor vem do facto de termos nascido com o principal intuito de sermos exatamente uma solução para o impacto que a situação financeira pode ter na vida de cada um.

Acima de tudo, tentamos garantir uma maior confidencialidade, para que o consultor que acompanha o cliente, seja o mesmo do início ao fim do processo. Num primeiro contato, é pedido ao cliente que nos informe quais são as suas reais pretensões para nos ter procurado, e, nos casos de grande dispersão de crédito, o que realmente o fez chegar ali. Como já tivemos  a possibilidade de explicar em outras situações, não julgamos ninguém, estamos ali apenas para resolver uma situação.

O crédito consolidado é a junção de vários créditos num único. De que forma é que a Financial Liberty analisa as garantias e consequências que advêm da consolidação destes?

A Financial Liberty, trabalha com as principais instituições financeiras e bancárias em Portugal. Somos feitos pelos nossos clientes e pelos nossos parceiros. A nossa análise gratuita e sem compromisso, é feita com base na documentação solicitada ao cliente e posteriormente verificada com cada um dos nossos parceiros.

O que é muito importante salientar, é que somos de facto uma equipa coesa, e que connosco, trabalham parceiros de excelência que acreditam na confiança do nosso trabalho e que nos dão a possibilidade de nos fazer crescer e consequentemente, em conjunto, existirem mais casos de sucesso.

Cada caso é um caso? É fundamental personalizar o serviço perante o cliente e a sua situação e realidade?

É exatamente esse serviço personalizado que prestamos, que me faz acreditar tanto neste produto e na nossa empresa. Existimos exatamente por isso. Os nossos analistas, fazem horas de análise e de pareceres, precisamente porque são vistos de modo casuístico, daí a importância de cada consultor acompanhar sempre o seu cliente e conhecer em detalhe a sua situação. É importante a confiança que os clientes possam ter nos nossos analistas. Acima de tudo , é fulcral, perceberem que com eles, vão ter sempre um acompanhamento e que não são sinónimo de apenas mais um número. Os nossos analistas, por sua vez, sabem que os nossos clientes são pessoas com expectativas e com planos, daí nos procurarem. Procuramos estar sempre próximos e presentes, mesmo após um processo resolvido.

A instabilidade financeira é um dos fatores com maior impacto no quotidiano de cada indivíduo. De que forma pode o crédito consolidado trazer contribuições positivas para a vida de quem recorre a este método?

Infelizmente a instabilidade financeira afeta em vários níveis, a vida de todos. O crédito consolidado, vem por sua vez, contribuir para suavizar essa instabilidade, permitindo aos indivíduos de ficarem com uma maior disponibilidade orçamental. Contudo, muitas vezes, focamo-nos apenas na poupança que temos mensalmente, esquecendo também, que existem outros fatores.

Por exemplo:  o facto de existir uma dispersão de créditos, é algo que por norma é ignorado, mas esta situação não só, nos traz um desgaste muito grande, na medida em que temos que ter um controle acrescido nos vários dias de prestações, como o controle de várias contas e consequentes despesas das mesmas. Outra situação relacionada com a dispersão de crédito, é o facto de transmitir a ideia de ser alguém “desorganizado” ou com um perfil mais consumista, ou seja, em caso de necessitar de um financiamento para despesas de habitação ou até mesmo de saúde, a viabilidade desse pedido, não será a mesma.

Afirmam que têm como objetivo, a liberdade financeira de cada cliente. É essa a vossa motivação diária enquanto empresa que já se encontra no setor há 10 anos?

Sim, esta é a nossa motivação. Como disse anteriormente, nós temos uma vida comum, convivemos diariamente com várias realidades e começamos a aperceber-nos cada vez mais, de situações de pessoas que exercem a sua atividade profissional com vencimentos acima da média e que têm dificuldade em pagar as suas contas consideradas essenciais (água, luz, gás).

Não obstante disto, percebemos que isto também acontecia com as compras alimentares, ou seja, estando a falar de uma classe média/média alta não faz qualquer sentido, isto acontecer. Por isso, é que a Financial Liberty existe, para ajudar nestes casos, permitindo a tal, liberdade financeira. Poder trabalhar numa área que gostamos e ajudamos as pessoas, é gratificante. Este, é o nosso trabalho, e regemo-nos todos, por estes mesmos princípios.

Sente que hoje o ceticismo em torno dos players deste setor foi completamente desmistificado e que existe maior confiança por parte do público em geral?

Como referi logo no inicio, é algo gradual. Infelizmente, ainda chegam até nós, muitas situações de experiências menos positivas, que inclusive, nos colocam em causa.

É aqui que entra a parte mais importante, a tal confiança permitida através da legislação do Banco de Portugal. Esta, é uma mais valia e que de alguma forma, protege o cliente e os “players” que trabalham dentro do que é regulamentado.

No âmbito da vossa atuação, como é que procuram inovar e fazer uso da inovação no sentido de promover um serviço de maior valor?

Mais do que inovar, pretendemos ser próximos dos nossos clientes. Este, é um dos nossos valores. Neste momento atuamos na área da formação a empresas, onde dispomos de outros serviços complementares, sendo que, para além do crédito consolidado, fazemos também, crédito pessoal, automóvel e habitação.

A Vanessa Oliveira é atualmente Sócia Gerente do grupo. Que caraterísticas diria serem fulcrais para construir uma carreira profissional nesta área?

Sim, eu sou a única sócia-gerente do grupo Financial Liberty. Não tenho segredos. Tenho  simplesmente aquelas que considero serem as minhas características próprias. Gosto e acredito no trabalho das empresas do grupo Financial Liberty.

Acredito acima de tudo, nesta área, nos parceiros e na equipa que trabalha comigo. Portanto, parece-me que as principais características neste setor, passam por gostar e acreditar naquilo que se faz e na confiança nos diferentes grupos de trabalho. Tratando-se de uma equipa a “remar” toda para o mesmo lado, é tudo muito mais fácil.

O que a define enquanto profissional? Que principal caraterística considera, que uma mulher deve assumir neste setor?

A mim o que me define, é acima de tudo, gostar daquilo que faço e nunca desistir daquilo em que acredito. E, como já referi anteriormente, acredito muito em mim, e na minha equipa. Nunca senti que o facto de ser mulher nesta área, fosse um fator diferenciador ou influenciador.

Como é enquanto líder? Acredita que existe uma liderança feminina e outra masculina? Ou um líder é um líder, independentemente do género?

Acredito nos valores de cada um, não em géneros. Acredito que um líder, só o é, mediante os seus valores, princípios e objetivos, e não, mediante o seu género.

O que mudou na sua vida, com a Financial Liberty?

O que mudou?! Bem mudou muita coisa. Desde a vontade de trabalhar a qualquer hora em qualquer lugar. Trabalhar, passou a ser um prazer quando se gosta do que se faz, porque sei que todos os dias existe alguém que vai ter uma questão da sua vida resolvida.

Na Financial Liberty, dizemos que não existem problemas, mas sim questões para serem resolvidas. Tem sido uma constante aprendizagem, com parceiros, clientes e colaboradores.

Mesmo com o crescimento a nível de equipa e de parceiros que temos vindo a ter nos últimos anos, posso afirmar que consigo ter tempo para todos, ouvir e aprender com cada um. A Financial Liberty trouxe-me por isso, um grande crescimento a nível pessoal e profissional. Sou uma pessoa de pessoas, e esta, é a profissão que melhor se encaixa no meu perfil.

Quais são os principais desafios da marca para este ano?

Os principais desafios da marca, vêm de acordo com os desafios anteriores. Atualmente, a Financial Liberty, está em mudança de instalações e aumento de colaboradores e ainda, se propôs a  incrementar a área de formação certificada na literacia financeira. Objetivo? Ajudar mais portugueses a atingir a liberdade financeira.

Escolher a Financial Liberty é…?

Escolher a Financial Liberty é atingir a liberdade financeira e ter um parceiro para a vida!

Deixe um comentario