fbpx

Na hora de escolher uma entidade intermediária de crédito tenha muita atenção aos vários detalhes que iremos abordar ao longo deste artigo, para que não caia em esquemas obscuros. Pois, são cada vez mais as tentativas de burla por utilizadores que se fazem passar por entidades fidedignas, mas que não o são.

ALERTA PARA CRÉDITO FÁCIL E RÁPIDO DE REDES SOCIAIS?

Toda a atenção é pouca na escolha da empresa intermediária de crédito, principalmente no que toca à comunicação de concessão de crédito fácil e rápido através das Redes Sociais e o Banco de Portugal já lançou o alerta.

“O Banco de Portugal tem tomado conhecimento de diversas situações em que pessoas coletivas ou singulares propõem ao público, através das redes sociais, em especial do “Facebook”, a suposta concessão de empréstimos, exigindo, como contrapartida, o pagamento de valores monetários recorrendo as falsas justificações.

EVITE CAIR EM BURLAS DE CRÉDITO FÁCIL E RÁPIDO.

Conferir o Registo das empresas no Banco de Portugal, muitas vezes não é o suficiente para evitar cair num crédito fácil e rápido, através das redes.

Todas as empresas inseridas no sector financeiro têm de estar devidamente registadas no Banco Central da Republica Portuguesa – Banco de Portugal.

Falamos especificamente do Regime Geral das Instituições de Crédito e Sociedades Financeiras (RGICSF) que, estabelece as condições de acesso e de exercício de atividade das instituições de crédito e sociedades financeiras, onde são refletidas as diretivas comunitárias nesta matéria.

O RGICSF abrange, nomeadamente, os seguintes aspetos:

  • Processo de autorização e de registo;
  • Avaliação da idoneidade dos participantes qualificados;
  • Avaliação da idoneidade e qualificação profissional dos membros dos órgãos de administração e de fiscalização;
  • Regras de conduta e relações com os clientes;
  • Cooperação com outras autoridades;
  • Regras e limites prudenciais;
  • Procedimentos de supervisão;
  • Providências de saneamento;
  • Garantia de depósitos;
  • Regime sancionatório.

O registo de cada empresa intermediária de crédito está livre para consulta dos demais com o objetivo de provar que se trata de uma empresa fidedigna e de confiança, como é o caso da Financial Liberty.

No entanto, uma vez que pode consultar o número de registo da empresa no Banco de Portugal, acontece que as falsas empresas de crédito também o fazem.

Aproveitando-se desse facto, fazem-se passar pela empresa vinculada e afirmam conceder empréstimos rapidamente, sem complexas formalidades ou burocracias, sem a prestação de garantias, com discrição e a todas as pessoas, mesmo àquelas que não conseguem obter crédito junto do sistema financeiro.

Antes de contratarem quaisquer empréstimos ou entregarem quaisquer quantias no âmbito de possíveis contratos de financiamento, os visados devem verificar, cuidadosamente, a legitimidade das entidades financiadoras, nomeadamente, mediante consulta prévia, no site do Banco de Portugal, da lista de instituições registadas e, portanto, habilitadas a exercer atividade financeira em Portugal (https://www.bportugal.pt/entidades-autorizadas).

CONHEÇA ALGUMAS SITUAÇÕES TÍPICAS DE CRÉDITO FÁCIL E RÁPIDO ATRAVÉS DAS REDES SOCIAIS.

Denuncie se suspeitar de algum esquema fraudulento.

Como foi referido anteriormente relativamente ao número de registo, os autores da publicação também usam, indevidamente, o nome e a imagem de instituições financeiras autorizadas ou de pessoas singulares reconhecidas publicamente, credíveis, para gerar confiança nos potenciais clientes;

Deve ser o cliente a vir ter com a empresa e não o contrário.

Após a captação do cliente, nomeadamente, através do perfil de Facebook, o diálogo é muitas vezes, iniciado através da plataforma “Messenger” ou “Whatsapp”, ou através de um contacto de email/número telefónico fornecido – muitas vezes com indicativo estrangeiro – para obtenção de mais informações.

Não entregue de imediato documentos de informação pessoal, entenda o envolvimento da empresa.

São solicitadas ao cliente informações pessoais e cópias de documentos, destinadas a dar credibilidade ao pedido, como nome completo, morada, número de identificação fiscal e/ou cópia de um documento de identificação, recibos de vencimento, entre outros.

Não pague nenhuma verba adiantadamente. Tenha em consideração que a análise da situação de crédito é totalmente gratuita e sem compromisso.

Após comunicar os termos do empréstimo, tais como o valor, os juros e o montante das prestações mensais – os quais são dados a conhecer em forma de texto ou através de supostos contratos, na sua maioria, falsificados –, estas falsas entidades solicitam o adiantamento de uma verba para que o montante do empréstimo seja supostamente disponibilizado.

Estes adiantamentos são, muitas vezes, classificados como “pagamento de seguro”, “quantia necessária para libertação do crédito”, “taxa de transferência internacional” ou “pagamento de impostos”.

Atenção às justificações apresentadas para novos pagamentos. Só deve pagar a mensalidade que fica estipulada e junto da instituição financeira negociada.

Após o pagamento destes adiantamentos, sucedem-se, com frequência, novos pedidos de dinheiro, a pretexto de diversas justificações, que são, muitas vezes, acompanhados de presumíveis comprovativos falsificados de transferências bancárias do montante do empréstimo solicitado;

Suspeite de um contexto de sucessivos pedidos de fundos para desbloqueio do capital. A partir da aprovação, o desbloqueio do capital é imediato.

No entanto, as falsas empresas tentam “enrolar” os clientes o máximo possível e veem-se envolvidos num contexto de sucessivos pedidos de fundos para desbloqueio do capital, que acreditam estar apenas dependente do pagamento dessas quantias.

O resultado final é que os clientes nunca recebem os montantes de empréstimo solicitados, acabando por se endividar ainda mais e atrasaram a resolução da sua situação financeira. Portanto, tal como o Banco de Portugal, a Financial Liberty também deixa aqui este alerta sobre a concessão de crédito fácil através da redes sociais e pede máxima atenção aos possíveis esquemas fraudulentos que visam a obtenção de um benefício ilegítimo por entidades não autorizadas a conceder empréstimos, as quais, de uma forma ardilosa, se aproveitam da situação de especial necessidade das pessoas.

Se suspeita de algo, denuncie ou entre em contacto connosco!